Setor de Transmissão

O setor elétrico é composto por empresas geradoras, distribuidoras e transmissoras de energia.

A energia sai de uma fonte geradora (como a energia eólica, no exemplo ao lado), passa por linhas e subestações transmissoras e, em seguida, é distribuída para lugares onde há consumo de energia.

ilustra-caminho-energia

A expansão do setor de transmissão acontece por meio de leilões de concessões públicas promovidos pela ANEEL, em vigor desde o final da década de 90.
O leilão é vencido pelo participante que ofertar a menor receita anual do ativo, o qual se torna responsável por construir, operar e manter as instalações de transmissão ofertadas.

A ANEEL também é responsável pela regulação do setor elétrico como um todo, por fiscalizar seus agentes, estabelecer tarifas, implementar políticas e diretrizes do Governo Federal, entre outras atribuições.

Um ambiente regulatório seguro e bem-definido é um dos principais fatores que confere confiabilidade a investimentos no setor de transmissão, além de:

  • Receitas previsíveis, já que, ao contrário dos demais setores de energia, ativos de transmissão possuem receita contratada desde o momento do leilão, que pode ser auferida a partir da data de entrada em operação do ativo;
  • Recebimento de receita baseado na disponibilidade de infraestrutura, e não no volume de energia transportado;

  • Proteção inflacionária da receita, ajustada anualmente pelo IPCA e revisada no 5º, 10º e 15º ano de operação;
  • Baixa inadimplência no setor, visto que as receitas das transmissoras são pagas por todos os usuários do Sistema Interligado Nacional (SIN): geradoras, distribuidoras ou clientes livres. Para garantir segurança e credibilidade ao processo, o Operador Nacional do Sistema (ONS) é quem organiza o recebimento das transmissoras.

Sistema Interligado Nacional (SIN)

O SIN é o principal responsável pela transmissão de energia elétrica no Brasil, predominantemente gerada em usinas hidrelétricas. Menos de 1% da energia demandada no país encontra-se fora do SIN, em pequenos sistemas isolados, localizados sobretudo na região amazônica.

Tem extensão aproximada de 140 mil km de linhas, com voltagem maior ou igual a 230 kV. É operado de forma centralizada pelo Operador Nacional do Sistema – ONS.

O SIN é dividido em quatro subsistemas referentes às regiões Sul, Sudeste/Centro-Oeste, Nordeste e parte da Região Norte do país.

Sistema de Transmissão horizonte 2017

sistema-de-transmissao-horizonte-2017

Fonte: www.ons.org.br